Contos doTio-Avô
"Quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê mora nele".
Textos
ERA VEZ UMA PERERECA DE OLHOS ESBUGALHADOS E MUITO PEGAJOSA. 
“ELA RECEBEU O NOME DE MALÚ DE SEUS PAIS, MAS, LOGO, GANHOU O APELIDO DE “‘ZOIÚDA” E GRUDENTA”, PELO FATO DE QUE TINHA O OLHO MAIOR QUE A BOCA, POIS, COMIA TUDO O QUE VIA NA FRENTE E TAMBÉM ERA MUITO TEIMOSA, POIS, ACHAVA QUE SABIA DE TODAS AS COISAS, MAS, NÃO PASSAVA DE UMA TURRONA.
ELA MORAVA NUMA LAGOA COM SEUS PAIS E SEUS IRMÃOS. ELES ERAM DESCENDENTES DA UMA GRANDE FAMÍLIA, POIS, SEU BISAVÔ ERA O FAMOSO DOM SAPO.
MALÚ ERA MUITO VAIDOSA, COMO TODA ADOLESCENTE E ESTAVA SEMPRE BEM VESTIDA NAS CORES DA MODA.
ELA TAMBÉM GOSTAVA MUITO DE PASSEAR PELOS BREJOS DA VIZINHANÇA DA LAGOA DA PÉROLA NEGRA ONDE MORAVA.
NUM DESSES PASSEIOS, MALÚ CONHECEU UM SAPO MUITO CHARMOSO CHAMADO ANFILÓFIO E LOGO SE ENCANTOU POR ELE.
MAS, SEUS PAIS NÃO PERMITIRAM QUE ELES NAMORASSEM.
ENTÃO, A “ZOIÚDA” E “GRUDENTA” PERERECA QUE ACHAVA QUE SABIA O QUE ERA BOM PARA ELA, UM DIA DECIDIU FUGIR DE SUA CASA E IR PARA BEM LONGE DA LAGOA PÉROLA NEGRA.
SÓ QUE A TEIMOSA DA PERERECA NÃO IMAGINAVA QUE NAQUELA NOITE IRIA CAIR UMA GRANDE TEMPESTADE FAZENDO COM QUE ELA FOSSE PARAR NO JARDIM DA CASA DA LAÍS, UMA MENINA DE DOZE ANOS.
MALÚ ESTAVA COMPLETAMENTE PERDIDA, POIS, A TEMPESTADE A PEGOU DE SURPRESA, MAS, LOGO A PERERECA SE ACOSTUMOU COM O LINDO JARDIM PARA ONDE A TEMPESTADE A HAVIA LEVADO.
A CHUVA CONTINUOU A CAIR DURANTE MUITOS DIAS, IMPEDINDO MALÚ DE SAIR DE SUA TOCA, MAS, ASSIM QUE A CHUVA PAROU MALÚ NÃO PERDEU TEMPO E SAIU SALTITANTE PELO IMENSO JARDIM DA CASA DA LAÍS.
ELA PERCORREU TODO O JARDIM DURANTE A NOITE E QUANDO O DIA AMANHECEU, ESTAVA COM A LÍNGUA DE FORA, MAS A TEIMOSA AINDA QUERIA CAMINHAR MAIS UM POUQUINHO, QUANDO DE REPENTE APARECE NA SUA FRENTE, UM GATO GORDUCHO QUE ESTAVA FAMINTO E QUE QUANDO O BICHANO A VIU, IMEDIATAMENTE ABRIU A SUA BOCA E PARTIU PARA O ATAQUE.
MALÚ SALTAVA PRA LÁ E PRA CÁ TENTANDO CONFUNDIR A VISÃO DAQUELE VELHO GATO GORDUCHO, MAS, O GATO SE APROXIMAVA CADA VEZ MAIS DA APAVORADA PERERECA. A PERSEGUIÇÃO FOI FEROZ, O GATO POR ONDE PASSAVA DERRUBAVA TUDO O QUE ENCONTRAVA NA SUA FRENTE.
O CORRE- CORRE DO GATO PARA CIMA DA PERERECA ACABOU COM O SILÊNCIO NA CASA DA LAÍS E QUANDO FINALMENTE O FELINO GORDUCHO SE PREPARAVA PARA ABOCANHAR A “ZOIÚDA” E “GRUDENTA” MALÚ, ELA DEU UM LONGO SALTO DANDO DE CARA NO VIDRO DA JANELA DO QUARTO DA LAÍS QUE ESTAVA DORMINDO.
ASSIM, LAÍS DESPERTOU IMEDIATAMENTE COM O SOM DA PANCADA NA JANELA. ENTÃO, LAÍS SE APROXIMOU DA JANELA E VIU A PERERECA “ZOIÚDA” A ENCARANDO COM AS SUAS PATAS PEGAJOSAS COLADAS NA JANELA.
A MENINA IMEDIATAMENTE COMEÇOU A BATER NO VIDRO TENTANDO FAZER COM QUE A PERERECA “ZOIÚDA” SAÍSSE DA JANELA DO SEU QUARTO, MAS, A” GRUDENTA” INSISTIA EM FICAR IMÓVEL ALI COMO SE ESTIVESSE ZOMBANDO DA CARA DA LAÍS, FAZENDO COM QUE A MENINA FICASSE FURIOSA COM A SUA ATITUDE. ENTÃO, LAÍS PEGOU UM BALDE DE ÁGUA E JOGOU SOBRE O VIDRO DA JANELA TENTANDO ESPANTAR A TEIMOSA PERERECA, MAS, DE NADA ADIANTOU, POIS, A “ZOIÚDA E GRUDENTA” CONTINUAVA COM AS PATAS GRUDADAS NO VIDRO DA JANELA, DEPOIS DISSO, LAÍS PEGOU UMA VASSOURA PARA CUTUCAR A PERERECA ZOIÚDA E GRUDENTA, MAS, NOVAMENTE, NÃO TEVE SUCESSO, POIS, ELA CONTINUAVA NO VIDRO COMO SE SUAS PATAS TIVESSEM SIDO COLADAS NO VIDRO DA JANELA COM “SUPER BONDER”.
NISSO, NOVAMENTE APARECEU O GATO GORDUCHO PARA TENTAR OUTRA VEZ ABOCANHAR A PEGAJOSA PERERECA.
O FELINO SALTA NO PARAPEITO DA JANELA E ABRE A BOCA COM GOSTO, MAS A ENSABOADA PERERECA ESCORREGA ENTRE AS PATAS DELE ENTRA NO JARDIM DA CASA DE LAÍS NOVAMENTE DESAPARECENDO COMO FUMAÇA NO AR.
ENTÃO, MALÚ ARREPENDIDA POR TER FUGIDO DE CASA, MAS QUE DEPRRESSA DECIDE VOLTAR PARA A LAGOA DA PÉROLA NEGRA E QUANDO LÁ CHEGA ENCONTRA OS PAÍS E OS IRMÃOS AFLITOS COM O SEU SUMIÇO, MAS, PASSADO O SUSTO, OS PAIS DA MALÚ. “ZOIUDA” E “GRUDENTA” A PERDOAM E PERMITE QUE A FILHA SE CASE, COM ANFILÓFIO, O PRÍNCIPE SAPO ENCANTADO DA SUA VIDA, FAZENDO COM QUE JÁ AGITADA LAGOA DA PÉROLA NEGRA SE TORNASSE AINDA MAIS BARULHENTA, POIS, ELES TIVERAM MUITOS SAPOS E PERERECAS QUE COAXAVAM DIA E NOITE SEM PARAR FAZENDO COM QUE A MÃE FICASSE AINDA MAIS “ZÓIÚDA” E “GRUDENTA”, POIS, COM O COAXAR ENSURDECEDOR DE SEUS FILHOS, ELA NÃO CONSEGUIA DORMIR PASSANDO ASSIM A NOITE TODA SEM CONSEGUIR PREGAR OS SEUS OLHOS ESBUGALHADOS.
 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 11/03/2020
Alterado em 16/03/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
AfrikaansAlbanianArabicEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos reservados a Saulo Piva Romero