Contos doTio-Avô
"Quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê mora nele".
Textos
HOUVE UM TEMPO EM QUE O MENINO DANIEL E SEU PAI REGINALDO IAM PESCAR AOS SÁBADOS, DOMINGOS E FERIADOS.
ELES ACORDAVAM BEM CEDINHO, ANTES DE O SOL NASCER PARA PREPARAR AS VARAS DE PESCA COM MOLINETE E COM CARRETILHA, POIS, ORA PESCAVAM COM UMA, ORA COM OUTRA.
ELES LEVAVAM MUITAS MINHOCAS QUE SERIAM USADAS COMO ISCAS E TAMBÉM UMA CESTINHA CHEIA DE PETISCOS DELICIOSOS PARA SACIAR A FOME ENQUANTO ESTIVESSEM PESCANDO NO BELÍSSIMO RIO PIRACICABA.
ASSIM, PAI E FILHO SAÍAM CARREGANDO OS SEUS CHAPÉUS DE PALHA PARA SE PROTEGEREM DO SOL ARDIDO QUE FAZIA NA CIDADE DE PIRACICABA DURANTE O VERÃO.
SEU REGINALDO ERA UM PAI MUITO AMOROSO E PACIENTE, POIS, ELE AMAVA MUITO O MENINO DANIEL.
DANIEL ERA LEVADO COM TODOS OS MENINOS DA SUA IDADE, MAS, SEMPRE RESPEITAVA O PAI, POIS, ALÉM DE PAI E FILHOS, ERAM AMIGOS TAMBÉM.
CERTO DIA, REGINALDO E DANIEL SAÍRAM PARA PESCAR. ELES FORAM CAMINHANDO E CONVERSANDO DURANTE TODO O CAMINHO ATÉ CHEGAREM A UMA DAS MARGENS DO LONGO RIO PIRACICABA.
NAQUELA ÉPOCA, REGINALDO E DANIEL COSTUMAVA PESCAR PERTO DO VÉU DA NOIVA QUE TINHA ESSE NOME DEVIDO A UMA LENDA QUE CONTA A HISTÓRIA DE UMA NOIVA QUE ÁS VÉSPERAS DO SEU CASAMENTO VIU O SEU NOIVO CAIR NO RIO E SER ENGOLIDO PARA O FUNDO DO RIO COM A FORÇA DAS ÁGUAS. ENTÃO, COMO ERA UM LUGAR BELÍSSIMO, CALMO E TRANQUILO E TAMBÉM POR CAUSA DA CURIOSIDADE DO MENINO EM CONHECER A FAMOSA COLINA ONDE FICAVA O VÉU DA NOIVA QUE VAGAVA PELO LOCAL SEMPRE SE LAMENTANDO E CHORANDO.
ASSIM SEMPRE QUE REGINALDO E DANIEL CHEGAVA AO LOCAL, ELES FICAVAM APRECIANDO AS BELÍSSIMAS QUEDAS D´ÁGUAS QUE ALI ESTAVAM.
DEPOIS, SEU REGINALDO E O MENINO DANIEL SENTAVAM CONFORTAVELMENTE PRÓXIMO A UMA DAS MARGENS DO GRANDE RIO E LANÇAVAM AS SUAS VARAS PARA DENTRO DO RIO E FICAVAM NO MAIS ABSOLUTO SILÊNCIO DURANTE HORAS PARA NÃO ESPANTAR OS PEIXES.
O MENINO DANIEL TENTAVA FISGAR PELO MENOS UM PEIXE, MAS, NADA DOS PEIXES MORDEREM A ISCA DA SUA VARINHA.
SEU REGINALDO VENDO A INQUIETAÇÃO DE DANIEL DISSE:
- É MEU FILHO! EU ACHO QUE HOJE A MARÉ NÃO ESTÁ PARA PEIXES.  EU ACHO QUE É MELHOR VOLTARMOS PARA A NOSSA CASA ANTES DO ANOITECER.
E O MENINO DANIEL DISSE:
- POR FAVOR, PAPAI, VAMOS FICAR SÓ MAIS UM POUQUINHO, POIS, NAS NOSSAS PESCARIAS SÓ O SENHOR CONSEGUE LEVAR O SAMBURÁ CHEIO DE PEIXINHOS PARA A NOSSA CASA.
- SIM, MEU FILHO! NÓS FICAREMOS MAIS UM POUQUINHO, POIS MEU SAMBURÁ AINDA NÃO ESTÁ TOTALMENTE CHEIO.
MAS, SE VOCÊ NÃO PARAR DE SE MEXER PARA LÁ E PARA CÁ NENHUM PEIXE MORDERÁ A SUA ISCA, POIS, OS PEIXES SÃO LISOS COMO SABÃO E AO PERCEBEREM QUALQUER MOVIMENTAÇÃO, ELES VOLTAM PARA O FUNDO DO RIO.
- ENTÃO. DANIEL FICOU QUIETINHO POR MUITAS HORAS E NADA DOS PEIXINHOS COMEREM A ISCA DO ANZOL DA SUA VARINHA.
- ENQUANTO ISSO, SEU REGINALDO PESCAVA MUITOS PEIXES E O SEU SAMBURÁ ESTAVA FICANDO CADA VEZ MAIS CHEIO DE PEIXES.
DE REPENTE, SEU REGINALDO VÊ DANIEL PULANDO DE ALEGRIA E AO MESMO TEMPO GRITANDO ANSIOSAMENTE E COM O CORAÇÃO AOS PULOS.
- PAPAI, FINALMENTE, EU CONSEGUIU PESCAR UM PEIXE. E DO JEITO QUE A VARA ESTÁ PESADA E ENVERGANDO, EU ACHO QUE EU PESQUEI UM TUBARÃO DE DUAS TONELADAS E MEIA.
- ESSE MEU FILHO É MUITO CRIATIVO, UM SONHADOR QUE DÁ ASAS A IMAGINAÇÃO. DE ONDE VOCÊ TIROU ESSA IDEIA QUE NESSE RIO HABITA TUBARÕES.
TÃO PEQUENO E JÁ VEM CONTANDO HISTÓRIAS DE PESCADOR PARA O PAPAI.
E DANIEL IRRADIANDO  PUREZA,  INOCÊNCIA E DANDO AINDA MAIS ASAS A IMAGINAÇÃO,COMO TODA CRIANÇA , DISSE:
- É VERDADE PAPAI! A VARÁ ESTÁ DOBRANDO DE TÃO PESADO QUE É O TUBARÃO QUE EU PESQUEI.
SEU REGINALDO NÃO CONSEGUE SEGURAR O RISO.
E QUANDO DANIEL FINALMENTE CONSEGUE RECOLHER A SUA VARINHA PARA A SUPERFÍCIE VÊ QUE O SEU TUBARÃO IMAGINÁRIO ERA APENAS O MOLINETE DO PESCADOR QUE ESTAVA AO SEU LADO, POIS, A VARINHA DE DANIEL HAVIA SE ENROSCADO NO MOLINETE DELE QUE NAQUELE MOMENTO ESTAVA ALI NA HORA ERRADA E TAMBÉM NO LUGAR ERRADO.
ENTÃO, SEU REGINALDO OLHA PARA DANIEL E DIZ:
, NO RIO PIRACICABA NUNCA EXISTIU TUBARÃO, MEU MENINO! NELE SÓ TEM CURIMBATÁS, PIAPARAS, DOURADOS E MANDIS.
ENTÃO, DEPOIS DA EXPLICAÇÃO, SEU REGINALDO DÁ UM LONGO ABRAÇO EM DANIEL, RECOLHE AS VARAS E CARREGA O PESADO SAMBURÁ CHEIO DE CURIMBATÁS, PIAPARAS, DOURADOS E MANDIS. E ESTENDE A  SUA OUTRA MÃO PARA O SEU FILHO EASSIM OS DOIS RETORNARAM PARA O SEU LAR. ELES ESTAVAM FELIZES E AGRADECIDOS A DEUS, POIS, HAVIA SIDO UMA PESCARIA MUITO ABENÇOADA E DIVERTIDA QUE FICARIA GRAVADA NA MEMÓRIA DE REGINALDO E DANIEL PARA SEMPRE.
 
 
 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 17/02/2020
Alterado em 18/02/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
AfrikaansAlbanianArabicEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos reservados a Saulo Piva Romero