Contos doTio-Avô
"Quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê mora nele".
Textos
HOUVE UM TEMPO EM QUE UM JOVEM E GUERREIRO VALENTE CHAMADO GURINHÉM ENCONTROU UMA BELA ÍNDIA CAMINHANDO ENTRE AS ÁRVORES DA MATA PERTO DA SUA ALDEIA.
A ÍNDIA ERA IÚNA. ELA ERA UMA DAS ÍNDIAS MAIS BELAS DA TRIBO INIMIGA. ELA TINHA CABELOS NEGROS E A PELE COR DE JAMBO.
QUANDO O JOVEM GURINHÉM A VIU PELA PRIMEIRA VEZ, SENTIU SEU CORAÇÃO DISPARAR COMO UMA FECHA EM CHAMAS NA DIREÇÃO DA BELÍSSIMA IÚNA.
GURINHÉM SE ENCANTOU COM A BELEZA DE IÚNA E PASSOU A VÊ-LA TODOS OS DIAS.
ISSO FEZ COM QUE A ÍNDIA DOS CABELOS NEGROS TAMBÉM SE ENCANTASSE PELO VALENTE GUERREIRO DA ALDEIA RIVAL.
ELES COMEÇARAM A SE CONHECER MELHOR E COM O TEMPO SE TORNARAM NAMORADOS.
O CASAL PASSEAVA TODAS AS TARDES NA BEIRA DO RIO E FAZIA JURAS DE AMOR ETERNO.
MAS, ELES TERIAM QUE ENFRENTAR MUITOS OBSTÁCULOS E ESPINHOS EM SUA CAMINHADA RUMO A FELICIDADE, POIS, IÚNA JÁ ESTAVA PROMETIDA AO CACIQUE DA TRIBO DELA.
O JOVEM GUERREIRO FICOU MUITO ABORRECIDO QUANDO A ÍNDIA CONTOU QUE ELA IRIA SE CASAR COM O CACIQUE, POIS, SEU PAI HAVIA SELADO A ACORDO DE CASAMENTO DELA COM O CACIQUE DA SUA TRIBO QUANDO ELA ERA UMA CURUMIM AINDA.
ENTÃO, IÚNA DECIDIU SE AFASTAR DO AMADO PARA QUE ELE A ESQUECESSE PARA SEMPRE.
O JOVEM GURINHÉM FICOU COM O CORAÇÃO DESPEDAÇADO, POIS, JAMAIS PODERIA DECLARAR O AMOR QUE SENTIU PELA BELA IÚNA.
SE ELE DECLARASSE QUE A AMAVA, CERTAMENTE A SUA TRIBO E A DELA ENTRARIAM EM GUERRA, POIS, AS DUAS TRIBOS ERAM INIMIGAS E NÃO SE FALAVAM HÁ MUITO ANOS.
ENTÃO, O ÍNDIO GUERREIRO E VALENTE FOI FICANDO ENTRISTECIDO E COM SAUDADE DA AMADA.
ELE PASSAVA OS DIAS ENFIADO DENTRO DA SUA OCA E SÓ SAÍA DE LÁ PARA CAÇAR E PESCAR.
ELE NÃO CONSEGUIA MAIS VIVER SEM A PRESENÇA DA BELA ÍNDIA DE CABELOS NEGROS E PELE COR DE JAMBO.
E ISSO FEZ COM QUE ELE RECORRESSE A TUPÃ QUE PARA OS ÍNDIOS SIGNIFICAVA DEUS, O CRIADOR DO CÉU E DA TERRA.
ELE PEDIU PARA QUE TUPÃ O TRANSFORMASSE EM UM PÁSSARO PARA QUE ELE PUDESSE FICAR AO LADO DA SUA BELA IÚNA PARA SEMPRE E PARA QUE AS DUAS TRIBOS PARASSEM DE GUERREAR POR CAUSA DO AMOR QUE ELE SENTIA PELA JOVEM E BELA ÍNDIA.
ENTÃO, TUPÃ COMOVIDO COM AS LÁGRIMAS QUE TEIMAVAM EM ROLAR DO ROSTO DE GURINHÉM O TRANSFORMOU EM UM LINDO PÁSSARO COM PENAS AVERMELHADAS.
ASSIM O JOVEM ÍNDIO GUERREIRO E VALENTE PASSOU A SE CHAMAR UIRAPURU, O PÁSSARO QUE TINHA O CANTO MAIS BONITO DA MATA EM QUE FICAVAM AS DUAS TRIBOS.
SENDO UM PÁSSARO, O ÍNDIO SE SENTIA MAIS CONFORTÁVEL PARA SE APROXIMAR DE SUA AMADA.
ENTÃO, TODOS OS DIAS, GURINHÉM POUSAVA NA MÃO DE SUA AMADA IÚNA E COMEÇAVA A CANTAR O SEU LINDO CANTO PARA ELA.
CERTO DIA, O CACIQUE ESCUTOU O BELO CANTO DO PÁSSARO DE PENAS VERMELHAS E FICOU MARAVILHADO COM A ALEGRE MELODIA QUE SEU CANTO TRANSMITIA.
QUANDO O CACIQUE SE APROXIMOU DO UIRAPURU, ELE VOOU PARA DENTRO DA MATA E O CACIQUE O SEGUIU PARA CAPTURÁ-LO, POIS, QUERIA PRENDÊ-LO NUMA GAIOLA PARA QUE ELE NÃO MAIS FUGISSE DE SUAS VISTAS, POIS, ELE QUERIA ACORDAR COM O BELO E ALEGRE CANTO DO UIRAPURU.
NA VERDADE O CACIQUE QUERIA MESMO ERA SE LIVRAR DE UMA VEZ POR TODAS DO UIRAPURU, POIS, ENTRANHAVA O FATO DO PÁSSARO VERMELHO CANTAR TODAS AS MANHÃS NA MÃO DA SUA ESPOSA.
 GURINHÉM ASSUSTADO VOOU PARA LONGE, ALÉM DOS LIMITES DA MATA E O CACIQUE MUITO BRAVO E ENCIUMADO FOI ATRÁS PARA CAPTURÁ-LO.
SÓ QUE ELE SE PERDEU NA MATA ADENTRO E NUNCA MAIS CONSEGUIU SAIR DELA.
JÁ O JOVEM ÍNDIO QUE AGORA, ESTAVA TRANSFORMADO EM UM UIRAPURU NÃO SÓ VOLTOU COMO CONTINUOU A CANTAR O SEU LINDO E MELODIOSO CANTO PARA A SUA AMADA IÚNA NA ESPERANÇA DE QUE ELA DESCOBRISSE QUE POR ATRÁS DAQUELE CANTO BELÍSSIMO E CHEIO DE SAUDADE QUE ELE CANTAVA INSISTENTEMENTE PARA ELA, HAVIA UMA LINDA E DELICADA DECLARAÇÃO DE AMOR VERDADEIRO QUE ELE SENTIA POR ELA DESDE A PRIMEIRA VEZ QUE A VIU CAMINHANDO POR ENTRE AQUELAS ÁRVORES NA MATA.
 
 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 28/01/2020
Alterado em 28/01/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
AfrikaansAlbanianArabicEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos reservados a Saulo Piva Romero