Contos doTio-Avô
"Quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê mora nele".
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Textos


HOUVE UM DIA EM QUE NO FIM DAS MURALHAS QUE CERCAVAM A CIDADE DA PEDRA ENCANTADA HAVIA UNS MENINOS DE RUA QUE TINHAM A MANIA DE SUBIR NO TELHADO DAS CASAS DOS ANCIÕES E FICAREM GRITANDO PALAVRÕES QUANDO ELES ENTRAVAM OU SAÍAM DAS SUAS CASAS.
OS ANCIÕES ESTAVAM FICANDO IRRITADOS COM O COMPORTAMENTO DAQUELES MENINOS DE RUA, POIS, ELES APRENDERAM DESDE CRIANÇA QUE RESPEITAR OS MAIS VELHOS ERA UM SINAL DE RESPEITO.
CERTO, UMA ANCIÃ RESOLVEU REPREENDER UM DOS MENINOS QUE ESTAVA PENDURADO NO TELHADO DA SUA CASA.
ELA DISSE:
- MENINO, SAIA DAÍ IMEDIATAMENTE!
CARLINHOS SEGURANDO UM GUARDA- CHUVA, CASO CHOVESSE E ABRAÇADO AO SEU COELHINHO DE ESTIMAÇÃO, CONTINUOU COM AS PROVOCAÇÕES CONTRA A ANCIÃ E AINDA POR CIMA FEZ UMA CARETA HORRÍVEL PARA ELA.
ENTÃO, A ANCIÃ FOI SE ENFURECENDO, ENTROU NA CASA E PEGOU UMA VASSOURA, DEPOIS SAIU NOVAMENTE E COMEÇOU A CUTUCAR O MENINO COM O PELO DA PIAÇAVA, MAS, CARLINHOS NEM SE ABALOU, CONTINUANDO COM AS MALCRIAÇÕES COM A ANCIÃ.
ELA VENDO QUE TUDO QUE ELA FALAVA PARA O MENINO NÃO ESTAVA TENDO RESULTADO. ASSIM, A ANCIÃ RESOLVEU PROCURAR A AJUDA DO PREFEITO DAQUELA CIDADE. TAMBÉM DE NADA ADIANTOU, POIS, O PREFEITO DISSE QUE NESSE CASO ERA PRECISO CHAMAR OS BOMBEIROS PARA QUE ELES TIRASSEM OS MENINOS DE CIMA DOS TELHADOS DAS CASAS COM SEGURANÇA.
E A ANCIÃ QUE JÁ ESTAVA A PONTO DE ESTOURAR QUE NEM UMA PANELA DE PRESSÃO NEM DEU OUVIDOS AO PREFEITO E SAIU CORRENDO DALI E VOLTOU PARA A CASA.
MAS, PARA O SEU DESESPERO, CARLINHOS CONTINUAVA LÁ EM CIMA DO TELHADO DA CASA. E QUANDO A VIU NOVAMENTE COMEÇOU A FALAR MUITAS GRACINHAS A VELHA SENHORA. QUE GRITAVA ENLOUQUECIDA PARA ELE PARAR DE  XINGÁ-LA COM ESSES NOMES FEIOS QUE ELE ESTAVA GRITANDO AOS QUATRO VENTOS PARA QUE TODOS OS SEUS VIZINHOS OUVISSEM.
MAS, O QUE CARLINHOS NEM IMAGINAVA QUE AQUELA SENHORA COM CARINHA DE BOAZINHA ERA NA REALIDADE UMA BRUXA DAQUELAS QUE USAM VARINHAS MÁGICAS E CALDEIRÕES PARA PREPARAR SEUS ENCANTAMENTOS.
O DIA COMEÇAVA A ANOITECER E AS LÂMPADAS DOS POSTES JÁ ESTAVAM ACESAS E O CARLINHOS CONTINUAVA A APRONTAR DAS SUAS EM CIMA DO TELHADO DA BRUXA ANCIÃ.  ELE CONTINUAVA A FAZER CARETAS HORRÍVEIS PARA A ANCIÃ QUE JÁ ESTAVA NO LIMITE DA SUA PACIÊNCIA.
ENTÃO, NUMA ÚLTIMA TENTATIVA DE CONVENCER O MENINO A PARAR DE FAZER GRACINHAS E DESCER DO TELHADO, ELA DISSE:
- É MELHOR, SAIR DO TELHADO ANTES QUE ANOITEÇA, POIS AO ANOITECER TODOS OS MEUS GATINHOS VÃO LHE ENLOUQUECER DE TANTO QUE MIAM.
MAIS UMA VEZ, CARLINHOS NÃO LHE DEU ATENÇÃO E QUANDO A NOITE CHEGOU A ANCIÃ COMEÇOU A SE TRANSFORMAR NUMA BRUXA FEIOSA QUE USAVA UM VESTIDO PRETO ENFEITADO COM TEIAS DE ARANHA E SEU NARIZ COMEÇOU A SE TORNAR PONTIAGUDO COM MUITAS VERRUGAS.
CARLINHOS FICOU MUITO ASSUSTADO QUANDO VIU A TRANSFORMAÇÃO DA ANCIÃ NUMA BRUXA. ENTÃO, SEUS OLHINHOS MIÚDOS SE ARREGALARAM.
NESSE MOMENTO, A VELHA BRUXA SOLTOU UMA LONGA E SINISTRA GARGALHADA E DISSE:
- EU LHE DEI VÁRIAS CHANCES DE SAIR DE CIMA DO MEU TELHADO E VOCÊ DEBOCHOU, FALOU MAL E ZOMBOU DE MIM. VOCÊ NÃO RESPEITA OS MAIS VELHOS E AINDA FAZ MUITAS MALCRIAÇÕES COM TODOS ANCIÕES DESSA CIDADE.
ENTÃO, ELA OLHOU NA DIREÇÃO DO TELHADO E APONTOU A SUA VARINHA E DISSE:
- JÁ QUE NÃO QUER SAIR DO MEU TELHADO, NELE PARA SEMPRE FICARÁ!
ASSIM AO PRONUNCIAR AQUELA FRASE PARA O MENINO MALCRIADO, ELE IMEDIATAMENTE SE TRANSFORMOU NUM MENINO DE PEDRA E FICOU EM CIMA DO TELHADO PARA SEMPRE.
DIZIA A LENDA NA CIDADE DA PEDRA ENCANTADA QUE TODO O MENINO QUE NÃO RESPEITASSE AOS ANCIÕES ACABARIA SE TRANSFORMANDO NUMA PEDRA COMO ACONTECEU COM CARLINHOS, O MENINO DE PEDRA.
 
 
 
 
 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 26/12/2019
Alterado em 27/12/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos reservados a Saulo Piva Romero.  
 
 




 
Países leitores do site Contos do Tio-avô