Contos doTio-Avô
"Quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê mora nele".
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Textos


CERTA VEZ UMA PREGUIÇA QUE ERA MUITO PREGUIÇOSA SE RECUSOU A TRABALHAR, POIS, ELA NÃO GOSTAVA DE FAZER COISA ALGUMA. A ÚNICA COISA QUE ELA FAZIA O DIA TODO ERA COMER E FICAR ESTICADA NUM GALHO DE ÁRVORE.
ESSA MÁ VONTADE DA PREGUIÇA DE IR TRABALHAR ESTAVA IRRITANDO OS DEMAIS BICHOS DA FLORESTA.
ELES JÁ NÃO SABIAM MAIS O QUE FAZER PARA QUE A PREGUIÇA CRIASSE CORAGEM. PARA TRABALHAR.
ENTÃO, ELES RESOLVERAM MARCAR UMA REUNIÃO PARA DECIDIR O FUTURO DA PREGUIÇA DENTRO DA COMUNIDADE DAQUELA FLORESTA.
DURANTE A REUNIÃO FOI DADA A CHANCE DE A PREGUIÇA FALAR E SE DEFENDER DAS ACUSAÇÕES DE QUE ELA ESTARIA FAZENDO CORPO MOLE PARA ESCAPAR DE CUMPRIR AS TAREFAS DIÁRIAS REALIZADAS NA FLORESTA.
- SENHORAS E SENHORES! EU NÃO NASCI PARA TRABALHAR. ISSO NÃO FAZ PARTE DA MINHA NATUREZA.
O QUATI QUE ERA O ZELADOR DA FLORESTA FICOU MUITO ZANGADO AO OUVIR A DESCULPA SEM GRAÇA DA PREGUIÇA PARA NÃO COMPARECER AO TRABALHO.
ENTÃO, O QUATI QUE ESTAVA A PONTO DE EXPLODIR PARTIU PARA CIMA DA VAGAROSA PREGUIÇA E LHE DEU UMA SURRA SEM DÓ E NEM PIEDADE.
A PREGUIÇA FICOU TODA DOLORIDA E IMEDIATAMENTE COMEÇOU A CHORAR FICANDO HORAS SE LAMENTANDO.
NESSE MOMENTO VINHA VOANDO UMA JURITI QUE OUVINDO OS SOLUÇOS DE CHORO E OS GRITOS DE DOR DA PREGUIÇA INTERROMPEU O SEU VOO E FOI PERGUNTOU PARA A PREGUIÇA:
- POR QUE VOCÊ ESTÁ CHORANDO TANTO?
E A PREGUIÇA RESPONDEU PARA A PEQUENINA AVE:
- PORQUE O MALVADO QUATI ME SURROU.
E QUAL FOI O MOTIVO QUE LEVOU ELE A BATER EM VOCÊ? 
- EU ME RECUSEI A COLABORAR NAS TAREFAS DIÁRIAS REALIZADAS AQUI NA FLORESTA

ENTÃO, A AVE DISSE:
- O QUATI NÃO PODE SAIR POR AÍ SURRANDO VOCÊ E QUEM QUER QUE SEJA SÓ PORQUE NÃO QUEREM TRABALHAR.
A JURITI FICOU COM MUITA PENA DA PREGUIÇA E COMEÇOU A CHORAR JUNTO COM A PREGUIÇA.
QUANDO O QUATI VIU A CENA EM QUE AS DUAS ESTAVAM CHORANDO, ELE FICOU MUITO MAIS ENFURECIDO E SURROU A PREGUIÇA NOVAMENTE.
ELE DISSE:
- VAI TRABALHAR PREGUIÇA PREGUIÇOSA!  LOGO VAI CHEGAR O MÊS SEGUINTE E VOCÊ NÃO TERÁ NEM O DINHEIRO PARA PAGAR O ALUGUEL DA SUA CASA. EU JÁ PERDI A PACIÊNCIA E SE VOCÊ NÃO SAIR DE CIMA DESSA ÁRVORE E FOR TRABALHAR EU VOU LHE SURRAR AINDA MAIS.
A JURITI QUE ESTAVA ESCONDIDA OUVIU TODA A CONVERSA E FICOU MUITO ZANGADA COM A COVARDIA DO QUATI EM SURRAR AQUELA POBRE PREGUIÇA INDEFESA.
ENTÃO, ELA RESOLVEU TOMAR AS DORES DA PREGUIÇA E COMEÇOU A PENSAR NUM JEITO DE CASTIGAR O QUATI VALENTÃO.
DEPOIS DE TANTO PENSAR A JURITI RESOLVEU ARMAR UMA ARAPUCA PARA QUE O MALVADO QUATI SENTISSE NA PRÓPRIA PELE A DOR QUE A PREGUIÇA ESTAVA SENTINDO NO MOMENTO.
ENTÃO, A ESPERTA JURITI PEGOU UMA PORÇÃO DE PEDAÇOS DE PAU E FEZ UMA PEQUENA ARAPUCA. NO MEIO DO CAMINHO EM QUE O QUATI COSTUMAVA PASSAR.
POUCO TEMPO DEPOIS O QUATI QUE CAMINHAVA DISTRAIDAMENTE NÃO PERCEBEU A ARAPUCA ARMADA PELA JURITI, E LOGO FOI PARAR DENTRO DELA. E FICOU PRESO.
O QUATI FEZ TUDO O QUE ESTAVA AO SEU ALCANCE PARA ESCAPAR DA ARAPUCA EM QUE HAVIA CAÍDO.
MAS, DE NADA ADIANTOU O SEU ESFORÇO E SENTINDO-SE SEM FORÇAS PARA SE LIVRAR DA TERRÍVEL ARAPUCA ARMADA PELA JURITI, ELE COMEÇOU A CHORAR E A GRITAR. O QUATI ESTAVA EXPERIMENTANDO A MESMA SITUAÇÃO QUE A PREGUIÇA HAVIA PASSADO.
EM CERTO MOMENTO A JURITI OUVIU OS SEUS GRITOS E A SUA LAMENTAÇÃO E LOGO SE APROXIMOU DA ARAPUCA QUE ELA HAVIA PREPARADO E PERGUNTOU:
- OLÁ, QUATI! PORQUE VOCÊ ESTÁ CHORANDO TANTO?
 E O QUATI QUE HAVIA PERDIDO A SUA VALENTIA, DISSE:
- EU ESTOU CHORANDO PORQUE A PREGUIÇA QUERENDO SE VINGAR DE MIM, FEZ UMA ARAPUCA NO MEIO DO CAMINHO, ENTÃO EU CAÍ DENTRO DELA E QUASE MORRI.
E A PEQUENINA AVE DISSE:
- QUATI, VOCÊ ESTÁ REDONDAMENTE ENGANADO, POIS, A PREGUIÇA NÃO PREPAROU NENHUMA VINGANÇA.
E O QUATI PERGUNTOU:
- ENTÃO, QUEM PREPAROU A ARAPUCA PARA MIM?
E A AVEZINHA OLHOU PARA O ASSUSTADO QUATI E DISSE:
- FUI EU QUE PREPAREI ESSA ARAPUCA PARA QUE VOCÊ SENTISSE NA PELE TODA A MALDADE QUE PRATICOU CONTRA A PREGUIÇA, POIS VOCÊ GOSTOU DE BANCAR O VALENTÃO E EM MOMENTO ALGUM SE ARREPENDEU DO QUE FEZ, PORTANTO, AGORA ESTÁ SENTINDO NA PRÓPRIA PELE, A DOR E A HUMILHAÇÃO QUE A PREGUIÇA TAMBÉM SENTIU QUANDO VOCÊ A SURROU.
DEPOIS QUE O DIÁLOGO ENTRE A JURITI EO QUATI TERMINOU, ELA VIROU AS COSTAS E FOI EMBORA EO QUATI CONTINUOU A CHORAR E A SE DEBATER DENTRO DA ARAPUCA.
ASSIM QUE A JURITI LEVANTOU VOO, ELA GRITOU:
- DA PRÓXIMA VEZ, TOME MUITO CUIDADO, POIS, QUEM COM FERRO FERE, SERÁ FERIDO.
ASSIM QUE A JURITI CHEGOU À ÁRVORE EM QUE A PREGUIÇA SE ENCONTRAVA ESTICADA TOMANDO UM DELICIOSO BANHO DE SOL, ELA LHE CONTOU O QUE HAVIA ACONTECIDO COM O QUATI.
E A PREGUIÇA COMEÇOU A GARGALHAR ATÉ NÃO AGUENTAR MAIS E DISSE:
- EU DUVIDO QUE O QUATI VÁ ME SURRAR NOVAMENTE, POIS, SE ELE CONSEGUIR ESCAPAR DESSA ARAPUCA, JÁ APRENDEU UMA GRANDE E VALIOSA LIÇÃO.
“NUNCA FAÇA PARA O OUTRO O QUE VOCÊ NÃO GOSTARIA QUE FIZESSEM PARA VOCÊ”.
E ASSIM A PREGUIÇA E A JURITI COMEÇARAM UMA LINDA E ETERNA AMIZADE.
 
 
 
 
 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 13/12/2019
Alterado em 13/12/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos reservados a Saulo Piva Romero.  
 
 




 
Países leitores do site Contos do Tio-avô