Contos doTio-Avô
Saulo Piva Romero
Textos
ERA UMA VEZ UMA LOBA BRANCA QUE VIVIA NUMA DAS FLORESTAS MAIS CONGELANTES DO MUNDO QUE PERTENCE A FINLÂNDIA, O PAÍS DO SOL DA MEIA- NOITE, ONDE O FRIO É MUITO RIGOROSO DURANTE SETE MESES DO ANO FAZENDO COM QUE A MATA DA FLORESTA FIQUE COBERTA DE NEVE.
A LOBA BRANCA QUE CAMINHAVA JUNTO COM OUTROS LOBOS E LOBAS DE VÁRIAS ESPÉCIES, SE DISTANCIOU DA SUA TURMA DEVIDO A UMA FORTE AVALANCHE E FICOU PERDIDA SEM SABER PARA QUE DIREÇÃO SEGUIR, POIS., OS ENORMES BLOCOS DE NEVE FORMADOS PELA AVALANCHE HAVIAM BLOQUEADO A PASSAGEM PARA   SUBIR ATÉ O PONTO MAIS ALTO DA MONTANHA.
ENTÃO, A LOBA CANSADA E COM FOME AVISTOU UM VELHO MOINHO QUE CURIOSAMENTE A NEVE NÃO CHEGOU A COBRIR.
A LOBA ENTROU E OLHOU EM VOLTA PARA VER SE ENCONTRAVA ALGO PARA COMER, MAS ELA NÃO ENCONTROU NADA.
ENTÃO, A LOBA CAMINHOU ATÉ UMA FOQUEIRA QUE ESTAVA ACESA PARA SE AQUECER, POIS, A NOITE HAVIA CAÍDO E O FRIO AUMENTADO.
ASSIM, A LOBA SE DEITOU CONFORTAVELMENTE E ACABOU ADORMECENDO SEM SE ALIMENTAR, POIS, O CANSAÇO DA LONGA VIAGEM AINDA ERA MAIOR DO QUE A FOME.
MAS, O QUE A LOBA NÃO IMAGINAVA ERA QUE NAQUELE VELHO MOINHO ABANDONADO HAVIA UM SOLDADO FERIDO NO SÓTÃO.
QUANDO O DIA RAIOU, O SOLDADO DESPERTOU E DESCEU PARA O ANDAR DE BAIXO E PARA SUA SURPRESA DEU DE CARA COM A LOBA QUE IMEDIATAMENTE COMEÇOU A UIVAR E A ROSNAR PARA O JOVEM SOLDADO.
O SOLDADO FOI SE APROXIMANDO DELA BEM DE MANSINHO E COM SABEDORIA CONQUISTOU A CONFIANÇA DA LOBA BRANCA E ASSIM SE TORNARAM GRANDES AMIGOS.
O JOVEM SOLDADO LOGO PERCEBEU QUE A POBRE LOBA BRANCA HAVIA SE PERDIDO E ESTAVA FAMINTA. ENTÃO, ELE SAIU A PROCURA DE ALGUNS ALIMENTOS PARA SACIAR A FOME DA LOBA BRANCA.
NO CAMINHO, O JOVEM SOLDADO ALGUNS PEIXES CONGELADOS PELA NEVE PRÓXIMO A BEIRA DE UM RIO. ELE VOLTOU PARA O VELHO MOINHO CARREGANDO UM CESTA DE VIME COM ALGUNS PEIXES QUE HAVIA CONSEGUIDO POR SORTE.
ELE ASSOU OS PEIXES NA FOGUEIRA E DEU PARA A LOBA QUE FINALMENTE CONSEGUIU SACIAR A SUA FOME. 
DEPOIS DO ALMOÇO, O SOLDADO E A LOBA RESOLVERAM DORMIR NOVAMENTE. ELE ACARICIOU A CABEÇA DA LOBA E EM SEGUIDA SUBIU AS ESCADAS QUE LEVAVA AO SÓTÃO E A LOBA O SEGUIU E ADORMECEU AO SEU LADO.
ALGUM TEMPO DEPOIS, ELES FORAM ACORDADOS POR UM GRANDE ESTRONDO QUE VINDA DA ENTRADA DO VELHO MOINHO.
QUANDO O JOVEM SOLDADO DESCEU A ESCADA DEU DE CARA COM UM GIGANTESCO URSO POLAR QUE COMEÇOU A ATACÁ-LO FEROZMENTE COM SANGUE NOS OLHOS, SEM DÓ E NEM PIEDADE. O JOVEM SOLDADO QUE JÁ ESTAVA FERIDO HAVIA DIAS NADA PODE FAZER.
MAS, SÓ QUE O URSO EM MOMENTO ALGUM PERCEBEU A PRESENÇA DA LOBA BRANCA DA NEVE NAQUELE VELHO MOINHO ABANDONADO NO MEIO DA GRANDE FLORESTA DO PAÍS DO SOL DA MEIA NOITE, POIS, O URSO ESTAVA FURIOSO E SÓ VIA NA SUA FRENTE O JOVEM SOLDADO.
O MOTIVO DA FÚRIA DO URSO POLAR TAMBÉM ERA CAUSADA PELO FOME UMA VEZ QUE NÃO HAVIA FARTURA DE ALIMENTOS NAQUELA REGIÃO DEVIDO AS FORTES AVALANCHES QUE CASTIGAVAM DURAMENTE A ÁREA FLORESTAL ONDE FICAVA O VELHO MOINHO.
ENTÃO, QUANDO O GIGANTESCO URSO PARTIU PARA CIMA DO JOVEM SOLDADO PARA DAR O GOLPE MORTAL, A LOBA DA NEVE COMEÇOU A UIVAR E EM SEGUIDA PULOU NO PESÇOSO DO URSO CRAVANDO SEUS DENTES CANINOS AFIADÍSSIMOS NO PESCOÇO  DO GRANDE URSO QUE IMEDIATAMENTE SOLTOU UM DOLOROSO BRAMIDO E EM SEGUIDA CAIU COMO SE FOSSE UM TRONCO DE ÁRVORE QUE RECEBE UMA MACHADADA E  DESABA COM TUDO NO CHÃO.
DEPOIS DE VENCER O COMBATE COM O URSO GIGANTE, A VALENTE LOBA BRANCA DA NEVE CORREU NA DIREÇÃO DO SOLDADO QUE TAMBÉM ESTAVA CAÍDO NO CHÃO.
A LOBA SE APROXIMOU DELE E COMEÇOU A LAMBÊ-LO E A MEDIDA QUE ELA IA FAZENDO ISSO AS FERIDAS DO JOVEM SOLDADO AS MARCAS DAS FERIDAS COMEÇARAM A DESAPARECER DO CORPO DELE. ELA NUMA AGITAÇÃO GIGANTESCA COMEÇOU A CUTUCÁ-LO COM AS SUAS PATAS MAS O SOLDADO CONTINUAVA DESACORDADO  SEM QUALQUER TIPO DE REAÇÃO.
ENQUANTO ISSO, A LOBA COMEÇOU A LEMBRAR DO DIA EM QUE O SOLDADO AMIGO A ALIMENTOU COM OS PEIXES SACIANDO A SUA FOME.  ELA NÃO PODIA EXPRESSAR A SUA GRATIDÃO AO SOLDADO POR ELE A TER ALIMENTADO E SACIADO A SUA FOME, ATRAVÉS DE PALAVRAS, MAS EXPRESSAVA ESSA GRATIDÃO AO SOLDADO DENTRO DO SEU CORAÇÃO.
ENTÃO, A LOBA DA NEVE, TOMADA PELA TRISTEZA, COLOCOU SUAS PATAS PARA FRENTE COMO SE ESTIVESSE AJOELHADA E UIVOU OLHANDO PARA O CÉU E NESSE MOMENTO ALGUMAS LÁGRIMAS CAÍRAM DE SEUS OLHOS E FORAM PARAR NA FACE DO  SOLDADO E DEPOIS DE ALGUNS MINUTOS, O JOVEM SOLDADO DESPERTOU DE UM SONO PROFUNDO SENTINDO O MILAGRE DA VIDA  E A PRESENÇA DE DEUS AO SEU LADO. AS SUAS FERIDAS JÁ NÃO EXISTIAM MAIS.
O JOVEM SOLDADO SE LEVANTOU E SENTIU A FALTA DA SUA AMIGA LOBA. ELE PASSOU DIAS E MAIS DIAS A PROCURA DA LOBA DA NEVE, MAS, NINGUÉM NUNCA HAVIA VISTO UMA LOBA DA NEVE PELAS BANDAS DAQUELA REGIÃO DA FLORESTA DO PAÍS DO SOL DA MEIA – NOITE, ENTÃO, O JOVEM SOLDADO CONCLUIU QUE AQUELA VALENTE LOBA TINHA SIDO ENVIADA POR DEUS PARA SALVÁ-LO DAS GARRAS DAQUELE GIGANTESCO URSO POLAR.
 
 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 28/05/2019
Alterado em 10/05/2020
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
AfrikaansAlbanianArabicEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017-2020. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos dos textos reservados a Saulo Piva Romero  
 
* As imagens do site são sem fins lucrativos.
São de propriedade da Google LLC