Contos doTio-Avô
Saulo Piva Romero
Textos
ERA UMA VEZ UMA ÍNDIA CHAMADA ÁGUIA SOLITÁRIA, A MAIS BELA DENTRE TODAS AS ÍNDIAS DA ALDEIA DOS TUCUMÃS. UMA DIA, ELA QUE ERA FILHA DO CACIQUE DA TRIBO SE CASOU E TEVE DOIS CURUMINS. ÁGUIA SOLITÁRIA ESTAVA MUITO FELIZ COM SEU CASAMENTO.  SEU MARIDO ERA UM BRAVO GUERREIRO QUE CUIDAVA COM MUITO AMOR, CARINHO E PROTEÇÃO DELA E DE SEUS CURUMINS QUE GANHARAM OS NOMES DE PORÃ E UPIARA.  ESTAVAM CRESCENDO SAUDÁVEIS E FELIZES. ELES CORRIAM, PESCAVAM, DANÇAVAM, BRINCAVAM E ATÉ ESTUDAVAM. MAS, UM DIA UMA COBRA APARECEU LÁ PELAS BANDAS DA ALDEIA E ENQUANTO, OS IRMÃOS CURUMINS BRINCAVAM NA MATA, A MALVADA COBRA OS ENGOLIU E RETORNOU PARA DENTRO DA MATA NOVAMENTE. QUANDO A NOITE CHEGOU, JUNTAMENTE COM A LUA E AS ESTRELAS, ÁGUIA SOLITÁRIA PERCEBEU QUE OS SEUS CURUMINS NÃO HAVIAM RETORNADO PARA A SUA OCA. ENTÃO, ELA PREOCUPADA COM O SUMIÇO DE PORÃ E UPIARA, CHAMOU O SEU MARIDO FALCÃO MALHADO PARA QUE FOSSE PROCURAR OS PEQUENOS CURUMINS. ENTÃO, ELE SAIU A PROCURA DOS FILHOS E NOVAMENTE A MALVADA COBRA SAI DA MATA E NUM BOTE CERTEIRO TAMBÉM ENGOLE FALCÃO MALHADO. E QUANDO ELA ENTRA NA MATA NOVAMENTE LANÇA FALCÃO MALHADO PARA FORA DO SEU ESTÔMAGO E PARA SURPRESA DO BRAVO GUERREIRO, ELE, VÊ OS SEUS CURUMINS PRESOS DENTRO DE UMA GAIOLA. A COBRA MALVADA COMEÇA A FALAR COM O BRAVO GUERREIRO TUCUMÃ.
- ESSA MATA ME PERTENCE. EU CHEGUEI AQUI PRIMEIRO.ENTÃO SE QUISER VER SEUS CURUMINS NOVAMENTE PEQUE A SUA TRIBO E ABANDONE MINHA MATA IMEDIATAMENTE.
 FALCÃO MALHADO NÃO TEVE OUTRA ESCOLHA SENÃO A DE ACEITAR A ORDEM DA MALVADA E PODEROSA COBRA.
ENTÃO, A GRANDE SERPENTE TRAIÇOEIRA DEU APENAS TRÊS DIAS PARA QUE O GUERREIRO TUCUMÃ FOSSE EMBORA DAQUELA MATA, PORQUE SENÃO ELE E ÁGUIA SOLITÁRIA NUNCA MAIS IRIAM VER OS SEUS CURUMINS.
ENTÃO, MAIS QUE DEPRESSA, FALCÃO MALHADO PARTIU PARA A SUA ALDEIA E CONTOU O QUE HAVIA DESCOBERTO PARA A SUA ESPOSA ÁGUIA SOLITÁRIA E ELA COMO UMA LEOA QUE DEFENDE SEUS FILHOS COM UNHAS E DENTES FICOU FURIOSA COM  A GRANDE COBRA QUE SE ACHAVA A SENHORA DE TODAS AS COISAS.  DEPOIS, QUANDO SE ACALMOU OROU A TUPÃ (DEUS) NA LÍNGUA INDÍGENA, PARA QUE ELE COM A SUA FORÇA, PODER, AMOR E MISERICÓRDIA LIBERTASSE OS SEUS PEQUENOS CURUMINS DAS GARRAS DA MALVADA COBRA QUE HAVIA SAÍDO DE DAS PROFUNDEZAS DO RIO DE FOGO PARA JUDIAR DE PORÃ E UPIARA.
-  GRANDE TUPÃ, CRIADOR DO CÉU E DA TERRA NÃO DEIXE QUE A SERPENTE DO MAL FAÇA COISAS HORRÍVEIS COM OS MEUS CURUMINS.
- ENTÃO, TUPÃ, OUVINDO A ORAÇÃO FEITA POR ÁGUIA SOLITÁRIA COM MUITA FÉ CONFIANDO NELE O TEMPO TODO, ELE COM SEU AMOR INFINITO DISSE PARA ELA QUE NADA DE MAL IRIA ACONTECER COM OS SEUS CURUMINS E ASSIM TUPÃ DISSE:
- VOCÊS DEVEM ENVIAR TRÊS DE SEUS MELHORES GUERREIROS PARA QUE ELES TRAGAM A COBRA NA MINHA PRESENÇA, MAS ISSO TEM QUE SER DURANTE O DIA JÁ QUE ELA ROUBOU A NOITE FAZENDO COM QUE TODOS MERGULHASSEM NAS TREVAS.
ENTÃO, ÁGUIA SOLITÁRIA E SEU MARIDO ENVIOU TRÊS DE SEUS MELHORES GUERREIROS PARA QUE TROUXESSEM A COBRA MALVADA ATÉ A ALDEIA PARA QUE TUPÃ PUDESSE CONVERSAR COM A COBRA.
A COBRA TRAIÇOEIRA, SENHORA QUE HAVIA TOMADO A NOITE PARA SI RECEBEU OS MENSAGEIROS DE ÁGUIA SOLITÁRIA COM INDIFERENÇA, MAS ACABOU INDO ATÉ A PRESENÇA DO GRANDE CRIADOR DO CÉU E DA TERRA.
E QUANDO CHEGOU A ALDEIA NÃO VENDO TUPÃ, FICOU MAIS IRRITADA AINDA COM FALCÃO MALHADO.
-VEJO QUE NÃO CUMPRIU O QUE ME PROMETEU E JÁ SE PASSARAM OS TRÊS DIAS QUE LHE DEI PARA DEIXAREM A MINHA MATA E ONDE ESTÁ TEU DEUS QUE OS SEUS MENSAGEIROS DISSERAM QUE QUERIA CONVERSAR COMIGO?
- FALCÃO MALHADO DISSE QUE ELE ESTAVA DENTRO DE TODOS OS CORAÇÕES DAS PESSOAS DE BEM.
AO OUVIR ESSAS PALAVRAS A COBRA MALVADA FICOU COM SANGUE NOS OLHOS E CRAVOU OS SEUS DENTES NA PERNA DELE, LIBERANDO O SEU VENENO AMARGO FAZENDO COM QUE FALCÃO MALHADO MORRESSE. ENTÃO, ÁGUIA SOLITÁRIA, A BELA ÍNDIA, AGORA SEM O MARIDO E SEM SEUS FILHOS TRANSFORMOU-SE NUMA LEOA E AVANÇOU NA DIREÇÃO DA COBRA E QUANDO O COMBATE ENTRE AS DUAS IRIA COMEÇAR., OUVIU-SE NO CÉU UM GRANDE E BARULHENTO TROVÃO SEGUIDO POR MUITOS RAIOS E O CRIADOR DO CÉU E DA TERRA SE FEZ PRESENTE DIANTE DA SERPENTE TRAIÇOEIRA.
- QUEM PENSAS QUE ÉS SER RASTEJANTE E TRAIÇOEIRO? VOCÊ VAI VOLTAR PARA O RIO DO FOGO DE ONDE NUNCA DEVERIA TER SAÍDO, POIS, VOCÊ NÃO TEM NENHUM PODER SOBRE MIM. ENTÃO, DEIXE ÁGUIA SOLITÁRIA EM PAZ E NUNCA MAIS A ABORREÇA.
- A COBRA MALVADA ABAIXOU A CABEÇA E SAIU SERPENTEANDO E RESMUNGANDO COMPLETAMENTE SEM DIREÇÃO DEPOIS DAS SÁBIAS PALAVRAS DO CRIADOR DO CÉU E DA TERRA. ASSIM, A TRIBO DE ÁGUIA SOLITÁRIA VOLTOU A VER O BRILHO DA LUA E DAS ESTRELAS.  E ASSIM QUANDO TERMINAVA O DIA SURGIA A NOITE NOVAMENTE.
ÁGUIA SOLITÁRIA SE DOBROU DIANTE DE DEUS COM MUITA FÉ E NOVAMENTE DEUS ATENDEU AO SEU PEDIDO.
ASSIM, APARECERAM DOIS ANJOS DE DEUS TRAZENDO DEBAIXO DE SUAS ASAS OS DOIS IRMÃOS CURUMINS PARA A FELICIDADE DE ÁGUIA SOLITÁRIA E QUANDO OS ANJOS DESCERAM DO CÉU PARA LHE ENTREGAR OS SEUS CURUMINS, O SOL E A LUA RESOLVERAM SE JUNTAR, FORMANDO UM MARAVILHOSO ECLIPSE PARA CELEBRAR O RENCONTRO DE ÁGUIA SOLITÁRIA COM OS SEUS PEQUENOS E AMADOS CURUMINS.
 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 20/03/2019
Alterado em 10/05/2020
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
AfrikaansAlbanianArabicEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017-2020. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos dos textos reservados a Saulo Piva Romero  
 
* As imagens do site são sem fins lucrativos.
São de propriedade da Google LLC