Contos doTio-Avô
Saulo Piva Romero
Textos
NA FAZENDINHA DAS ROSAS VERMELHAS HAVIA UMA GRANDE PLANTAÇÃO DE MILHO E NELA VIVIA UM ESPANTALHO MUITO FEIO COM UMA APARÊNCIA ASSUSTADORA. APESAR DESSE DETALHE ELE EXIBIA UM BELO SORRISO NO ROSTO. O SONHO DE PANDOLFO ERA TORNAR -SE UMA PESSOA DE CARNE E OSSO. MAS ELE NÃO TINHA AMIGOS PARA CONVERSAR. ELE FICAVA O TEMPO TODO PREGADO NUM POSTE DE MADEIRA BEM NO MEIO DO MILHARAL DEBAIXO DE UM SOL OU DE UMA CHUVA. ERA COLOCADO ALI PARA ESPANTAR OS PÁSSAROS INTRUSOS QUE INVADIAM O MILHARAL E FAZIAM ESTRAGOS SEM DÓ NA PLANTAÇÃO DE MILHO. OS DIAS PASSAVAM E NADA DE NOVO ACONTECIA NA VIDA SOLITÁRIA DO POBRE PANDOLFO. CERTO DIA, O COITADINHO DO ESPANTALHO QUE JÁ HAVIA PERDIDO A ESPERANÇA DE TER UMA NOVA VIDA AVISTOU UM CORVO QUE POUSOU BEM NO SEU OMBRO. PANDOLFO SEMPRE COM UM SORRISO NO ROSTO CUMPRIMENTOU O CORVO.
- BOM DIA, SENHOR CORVO! O QUE FAZ AQUI, NÃO TEM MEDO DE MIM?
- EU NÃO TENHO MEDO DE VOCÊ. QUE MAL VOCÊ PODE FAZER PREGADO NESSA MADEIRA!?
- ESTOU PASMO! TODOS FICAM COM MEDO NA MINHA PRESENÇA! OS PÁSSAROS EM GERAL E AS CRIANCINHAS ATÉ CHORAM ÁS VEZES.
E O CORVO DISSE:
- EU ME SINTO MUITO BEM NA COMPANHIA DO SENHOR. VOCÊ É MACIO E CONFORTÁVEL.
E ASSIM O CORVO E O ESPANTALHO TORNARAM -SE GRANDES E INSEPARÁVEIS AMIGOS.
E NUMA DAS CONVERSAS COM O AMIGO CORVO, PANDOLFO REVELOU SEU SONHO DE VIRAR UMA PESSOA.
- POR QUÊ VOCÊ QUER VIRAR GENTE?
- POR QUE COMO ESPANTALHO EU SOU MUITO MALTRATADO POR TODOS POR CAUSA DE MINHA FEIURA.
- ESQUEÇA ESSA HISTÓRIA AMIGO ESPANTALHO.
E NESSE INSTANTE SURGE UMA PEQUENINA FADA NO MEIO DA PLANTAÇÃO PARA O ESPANTO DO ESPANTALHO.
- QUEM É VOCÊ?
- EU SOU A FADA DO MILHARAL!
E O QUE QUER AQUI PEQUENA SENHORA?
- EU OUVI SUA CONVERSA COM O CORVO. E RESOLVI ATENDER O SEU DESEJO DE VIRAR GENTE.
E GIRANDO SUA VARINHA TRANSFORMOU O FEIOSO ESPANTALHO NUM BELO RAPAZ.
- EU NÃO ESTOU ACREDITANDO QUE VIREI UM BELO RAPAZ. COMO É BOM SENTIR ESSA SENSAÇÃO DE LIBERDADE!
E O CORVO VOLTANDO AO MILHARAL NOTOU A AUSÊNCIA DE SEU AMIGO PANDOLFO E COMEÇOU A PROCURAR O ESPANTALHO POR TODOS OS CANTOS DA FAZENDINHA DAS ROSAS VERMELHA E NADA DO BONECO DE PALHA. MUITOS DIAS SE PASSARAM E O CORVO PERDEU O OMBRO MACIO E CONFORTÁVEL DO AMIGO PARA REPOUSAR NAS HORAS DE CANSAÇO E TAMBÉM SENTIU SAUDADE DO AMIGO DE PALHA. E ASSIM MUITOS ANOS SE PASSARAM. O BELO RAPAZ DEPOIS QUE VIROU GENTE TEVE QUE TRABALHAR DURO PARA SE SUSTENTAR E COM O PASSAR DOS ANOS ENVELHECEU E VOLTOU A SER FEIO COMO NOS TEMPOS EM QUE ERA SOMENTE UM ESPANTALHO DE PALHA E MUITO CANSADO E NÃO AGUENTANDO O PESO DA VELHICE RECLAMOU NOVAMENTE DIZENDO:
- NO MEU TEMPO COMO ESPANTALHO EU ERA FELIZ E NÃO SABIA!
EIS QUE UM BELO DIA O CORVO E O ESPANTALHO SE REENCONTRA NOVAMENTE.
- MEU AMIGO CORVO! COMO ANDA A VIDA?
- MINHA VIDA ESTÁ DE VENTO EM POPA. EU ME CASEI E TIVE UM CASAL DE FILHOS
- E A SUA VIDA MEU AMIGO COMO ANDA?
- E O EX- ESPANTALHO AGORA UM HOMEM RESPONDEU:
- AO CONTRÁRIO DA SUA, A MINHA VIDA ESTÁ INDO POR ÁGUA ABAIXO.
- QUANDO ERA JOVEM GASTEI TUDO O QUE GANHEI. EU TRABALHEI DURO DE SOL A SOL COMO UM ESCRAVO E TODAS AS PESSOAS SÓ SE APROXIMAVAM DE MIM POR ALGUM INTERESSE E AGORA A VELHICE ME PEGOU E VOLTEI A SER FEIO COMO QUANDO EU ERA UM SIMPLES ESPANTALHO LÁ NA FAZENDINHA.
- O CORVO OLHOU PARA O AGORA VELHINHO E DISSE:
- DEVEMOS NOS ACEITAR COMO REALMENTE SOMOS, POIS, AS APARÊNCIAS NOS ENGANAM E COMPLICAM A NOSSA VIDA. E A BELEZA UM DIA SE VAI COM O PASSAR DO TEMPO. POR ISSO MEU CARO AMIGO PANDOLFO NEM TUDO QUE RELUZ É OURO E A VERDADEIRA BELEZA ESTÁ DENTRO DE NÓS E NÃO DO LADO DE FORA!
E ASSIM FORAM OS VELHOS AMIGOS RUMO A FAZENDINHA DAS ROSAS VERMELHAS, O CORVO VOANDO BAIXO E PANDOLFO ANDANDO LENTAMENTE APOIADO NA SUA BENGALINHA DE MADEIRA.

 
Saulo Piva Romero
Enviado por Saulo Piva Romero em 24/04/2017
Alterado em 08/05/2020
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
AfrikaansAlbanianArabicEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Copyright © 2017-2020. Contos do Tio-Avô. Todos os direitos dos textos reservados a Saulo Piva Romero  
 
* As imagens do site são sem fins lucrativos.
São de propriedade da Google LLC